JOGOS HIPOTÉTICOS: BRASIL CONTRA ESPANHA E ALEMANHA

19/10/2012 17:13

 

Olá amigos! Publiquei na página do Painel Tático no Facebook e no Grupo Discussão Tática, também no Facebook, dois questionamentos de como seriam os duelos desse “novo” time de Mano Menezes contra Espanha e Alemanha, seleções consideradas as melhores do mundo no momento. A intenção do questionamento foi justamente suscitar o debate, sendo o assunto tratado com muita propriedade pelos amantes de análises táticas no Facebook.

Como o resultado foi legal, além de ser um interessante exercício para a imaginação, trouxe para o Painel, e para os eventuais leitores que não acessam o Facebook, o questionamento que fiz para os amigos do Grupo Discussão Tática. Vale a pena ler, imaginar e, se quiser, deixar seu comentário e continuar o debate por aqui. Os amigos do Grupo, que comentaram no Facebook, também estão convidados a novamente deixarem suas opiniões. Espero que gostem! Abraço!

 

 

Brasil x Espanha: O duelo dos sonhos

 

Ontem assisti Espanha 1 x 1 França e me decepcionei com a Fúria. Não vi aquela marcação eficaz no campo do adversário, a movimentação não demonstrou nada de anormal e, no segundo tempo, deixou a França jogar por quase toda etapa. Lembrando que a França não está bem, jogando num 4-3-3 pálido, óbvio em seus propósitos táticos. Imagine que hoje, em campo neutro, o 4-6-0 brasileiro (criatura) enfrentasse o 4-6-0 espanhol (criador), num duelo esperado por todos no futebol mundial. O que você acha? Venceria esse Brasil atual de Mano Menezes, com Kaká entre os jovens ou venceria a atual campeã mundial e sua geração brilhante? Vejo a geração espanhola, bi campeã européia e campeã mundial, perdendo o fôlego, um pouco do brilho. O que resta é um enorme padrão tático, afinal a Espanha vem jogando dessa forma e praticamente com os mesmos jogadores desde 2006, mas o toque de bola está enfadonho e pouco objetivo, sendo que o nível de pressão da marcação caiu muito. O Brasil, ao contrário, tem juventude e talento, porém não tem um time, uma equipe no aspecto coletivo, vivendo de um ínfimo padrão tático. Desconsiderando as contusões, escalei os prováveis titulares desse duelo. Qual seria seu placar? (Publicado no Facebook no dia 17/10/2012)

 

4-6-0 brasileiro (criatura) x 4-6-0 (espanhol): padrão tático e peso das conquistas atuais fizeram a maioria, através do Facebook, apostar na Espanha.

 

 

 

Brasil x Alemanha: A revanche de Mano Menezes

 

Alemanha e Brasil se enfrentaram pela última vez no dia 10 de agosto de 2011, em Stuttgart.  No primeiro duelo entre Löw e Mano, o alemão levou a melhor com sua equipe vencendo por 3x2.  Essa foi a ficha técnica da partida:

 

Alemanha: Neuer; Träsch, Hummels (Boateng), Badstuber e Lahm; Schweinsteiger (Rolfe), Kroos, Götze (Cacau) e Müller, Podolski (Schurrle) e Mario Gómez (Klose).

 

Brasil: Júlio César; Daniel Alves, Lúcio, Thiago Silva e André Santos (Luiz Gustavo); Ralf, Ramires e Fernandinho (Paulo Henrique Ganso); Robinho (Renato Augusto), Pato (Fred) e Neymar.

 

Gols: Alemanha (Schweinsteiger, Götze e Schurrle. Brasil (Robinho e Neymar).

 

Na oportunidade, o Brasil jogou numa espécie de 4-3-3 com três volantes e a Alemanha no seu costumeiro 4-2-3-1, o mesmo (e praticamente da mesma forma) usado até hoje. Para relembrar esse duelo no aspecto tático, indico a leitura do post de Eduardo Papke Rocha, no Nó Tático, sobre a partida (http://notactico.blogspot.com.br/2011/08/analise-tatica-alemanha-x-brasil.html#.UIDiz4aoW1s).

Nesse ano que se passou, muita coisa mudou para o Brasil de Mano Menezes. No time alemão, ao contrário, não mudou quase nada.  Outro dia lancei aqui o questionamento de como seria a disputa do 4-6-0 brasileiro contra o 4-6-0 espanhol, desconsiderando as contusões e imaginando o duelo em campo neutro, visto que Mano já indicou ser o time que enfrentou Iraque e Japão (com alternância para o 4-2-3-1 com referência de área quando necessário) a equipe base que pretende utilizar na Copa das Confederações. A maioria entendeu que o padrão tático espanhol provavelmente derrotaria a equipe em formação do Brasil.

Atendendo um pedido do amigo Raniery Medeiros, agora faço outra pergunta para vocês: Quem venceria caso Brasil e Alemanha jogassem hoje? Do time titular que enfrentou o Japão, apenas quatro jogadores participaram da partida contra a Alemanha no ano passado. Mudamos o goleiro, os laterais, um zagueiro, quase todo o meio e parte do ataque. Isso sem contar o sistema tático, totalmente novo para o time e também para os preceitos de nosso futebol. Na Alemanha, praticamente nenhuma novidade. A titularidade de Reus (justa e merecida) no lugar de Podolski parece ser a única mudança real da equipe de Löw, que mantém um rodízio interessante com seu elenco.

Quem venceria esse duelo hoje? O 4-6-0 canarinho, com dinâmica estratégica de 4-2-2-2 ou o 4-2-3-1 assimétrico dos alemães? O Brasil evoluiu taticamente? Estamos melhores? O padrão da seleção alemã é o mesmo? O que vocês acham? (Publicado no Facebook no dia 19/10/2012)

 

4-6-0 brasileiro x 4-2-3-1 assimétrico e com centroavante dos alemães: contra a Alemanha, um otimismo maior com relação ao Brasil. Como comentado no grupo, equipe de Löw também possuí uma ótima safra de jovens atletas.

 

 

 

 

Curtam a página do Painel Tático no Facebook:

https://www.facebook.com/blogpaineltatico

 

 

 

 

 

 

Victor Lamha de Oliveira

 

 

Tópico: JOGOS HIPOTÉTICOS: BRASIL CONTRA ESPANHA E ALEMANHA

jogaços!

Fernando Martins | 21/10/2012

Interessante e difícil desafio prever um jogo deste tipo, Victor!
Mas uma previsão lógica e coerente para os jogos não é impossivel. Ao começar pela Espanha acho que valeria usar do estilo deles: o toque de bola "sololento". Gastar pelo menos meia hora com a bola no pé, com pouca objetividade, sempre escapando da marcação sob pressão deles é importante para não cair no erro de sair em contra-atques velozes contra um dos melhores zagueiros e goleiro do mundo, à qual eles possuem. Do mais será um jogo com posse de bola, sobretudo, espanhola e um jogo com gols dos dois lados.
Contra a Alemanha espero um jogo aberto com chances claras e manifestas de gols para os dois times, e bem mais emocionante que contra Furia. Abraço

Jogaço !

Maurício | 20/10/2012

Esse sim seria um bom teste para o Brasil!
O esquema que o Jhons citou,é muito bom, poderia dar certo com o Ramires na direita!
Agora contra Gabão, Irão, Iraquão (tudo com ÃO. heheh) fica fácil neh, tinhamos que enfrentar seleções assim,para fazer um bom teste!

Re:Jogaço !

Victor Lamha de Oliveira | 21/10/2012

Grande Maurício! Como disse gaúcho, tivemos bons testes, contra Alemanha, Argentina e França. Entretanto, assim como as olímpiadas, tais duelos foram desperdiçados por Mano Menezes, perdido em sua obrigação de renovar a equipe. Perceba como o time do Brasil mudou em apenas um ano, as vezes nem por culpa somente do treinador. Júlio César e Lúcio, por exemplo, não estão, no momento, tecnicamente aptos a jogar pelo Brasil. Agora, finalmente, Mano parece ter encontrado uma equipe base e tomado um rumo tático definitivo! Vamos torcer! Abraço!

Tatica

Jhons Eloi | 20/10/2012

Brasil x França seriam um bom teste tbm!
Por todo os retrospecto Frances.
86, 98 e 2006. No resta lembrar aquela vitoria de 5a2 em 58. Pelé, Didi e cia arazaram.

Re:Tatica

Victor Lamha de Oliveira | 21/10/2012

Jhons, Brasil e França se enfrentaram naquele jogo em que o Hernanes deu aquele "golpe" no Benzema. Como disse ao Luis no comentário abaixo, perdemos para a França porque não tínhamos uma equipe. Após dois anos perdidos, Mano parece, finalmente, ter encontrado um time base com o amadurecimento de Neymar e as chegadas de Kaká e Oscar. Um novo duelo contra os franceses seria muito interessante, sendo que eu apostaria no Brasil Em 58, a França tinha Fontaine, um dos maiores artilheiros da história das Copas! Foi uma grande vitória do nosso futebol! Abraço!

Bom post!

Luis Fernando | 20/10/2012

Seriam grandes testes, uma pena que não veremos um jogo desse antes da Copa.

Re:Bom post!

Victor Lamha de Oliveira | 21/10/2012

Grande Luis Fernando! Infelizmente, só veremos na Copa das Confederações. Isso se Brasil e Espanha chegarem na final. O pior de tudo, é que já jogamos contra Alemanha, França e Argentina. Perdemos das três porque não tinhamos uma equipe. Seria interessante ver esse "novo" Brasil contra essas seleções. Com certeza, mesmo perdendo, o Brasil jogaria melhor e com uma postura tática mais qualificada. Abraço!

BLOG

Felipe Durigan | 19/10/2012

Olá, tudo bem ? Gostei bastante do seu blog e também tenho um blog sobre tática de futebol há mais de dois anos. Me ajuda na divulgação por favor. LINK: http://www.taticadojogo.com.br/
Obrigado

Re:BLOG

Victor Lamha de Oliveira | 21/10/2012

Olá Felipe, prazer! Bem vindo ao Painel Tático! Já te adicionei no Grupo Discussão Tática no Facebook e compartilhei para todos o link do seu site. Fiz uma visita e gostei do seu trabalho. No Grupo, além de amizades e do imenso aprendizado, nos ajudamos na divulgação dos blogs. Seja bem vindo! Aguardamos você nos debates táticos! No que puder te ajudar, pode contar comigo! Abraço!

Tatica

Jhons Eloi | 19/10/2012

Acho q nesses jogos o BR poderia acrescentar um volante a mais!
De preferncia Luiz Gustavo. Fazendo duas linhas de quatro compactadas. A segunda sendo Paulinho e L.Gustavo no centroo Ramires no flanco direito, e Kaká no esquerdo. Com Neymar e Oscar sercando.

1 | 2 >>

Novo comentário