REAL MADRID 2 x 1 BARCELONA: MOURINHO VENCE A PRIMEIRA CONTRA O MAIOR RIVAL NO BERNABÉU

29/08/2012 20:52

 

Depois de desdenhar do título da Supercopa da Espanha, José Mourinho, após o péssimo início de temporada do Real, parece ter mudado de idéia quanto ao valor da conquista. Os merengues estão a cinco pontos do líder na Liga Espanhola, resultado das fracas apresentações, tanto no aspecto coletivo (e tático) quanto no individual.  Na partida disputada em Barcelona na semana passada, Mourinho sacou Di Maria e colocou Callejón, dando um ar de amistoso para o duelo. Assim, resolveu também poupar Pepe que havia batido a cabeça com Casillas no jogo anterior.

Após o início de semana turbulento e a pressão que se espalhou nos corredores do clube, Mourinho veio a campo com o Real completíssimo. Foram quatro modificações com relação ao jogo passado: Higuaín, Marcelo, Pepe e Di María entraram na equipe. No plano tático, não tivemos novidades. Assim como no duelo passado, e previsto por Júnior Marques em prévia tática divulgada no Facebook, o Barça veio a campo no seu 4-3-3/4-3-1-2 e o Real no seu imutável 4-2-3-1:

 

 

Desde que assumiu o Real Madrid, Mourinho não havia conseguido algo fundamental para os torcedores do clube: ganhar do maior rival jogando em seus domínios. Robben, Guti, Sneijder e Raúl formavam o quarteto ofensivo do Real na última vitória sobre o Barça no Bernabéu, no dia 7 de maio de 2008, em jogo válido pelo Campeonato Espanhol. Diante desse tabu incômodo, o treinador português manteve o desenho tático. Entretanto, mudou totalmente a estratégia aplicada ao sistema, assim como a postura da equipe.

O Real se destacou e mandou no primeiro tempo por causa de sua obediência tática e da louvável dedicação de toda a equipe quanto à marcação. O time de Mourinho compactou os setores, adiantou a marcação e marcou os laterais com o meias extremos. Aos 6’ Higuaín perdeu gol na cara de Valdés, que fez bela defesa. Entretanto, aos 10’ Mascherano furou e o atacante argentino não perdoou: 1 a 0 para o Real. A equipe de Madrid jogava de forma veloz, incisiva e absoluta.

Aos 18’, após outra enfiada de bola entre os zagueiros, Cristiano Ronaldo aproveitou a falha e marcou o segundo gol do Real. E, mesmo com a vantagem no placar, o time de José Mourinho não aliviou e continuou exercendo sua superioridade de forma incontestável até os 35’ da primeira etapa. Além da dedicação exemplar à marcação dos meio campistas, ressaltando que todos voltavam para marcar, percebi Di María um pouco mais recuado e fazendo quase um terceiro volante em algumas situações, tentando espelhar o desenho tático do adversário pela meiuca.

André Rocha, durante a transmissão da partida, publicou no Facebook um flagrante tático da marcação adiantada do Real. Na foto, assim como no texto, André explica objetivamente o que viu dessa marcação do Real Madrid:

 

Flagrante tático da marcação adiantada do Real Madrid no massacre até agora sobre o Barcelona no Santiago Bernabéu. 2 a 0, 11 contra 10 com a expulsão de Adriano e pelo menos três grandes defesas de Valdés. Fora o baile e uma atuação soberba de Marcelo”.

 

 

Júnior Marques, um dos craques do site A Prancheta, também publicou no Facebook um flagrante tático abordando outro aspecto dessa marcação massacrante do Madrid. André Rocha falou do adiantamento da marcação. Já Júnior Marques, abordou o desenho tático do Real quando o time se dedicava à marcação:

 

“Quem está acompanhando a final da Supercopa da Espanha 2012, flagrante tático da postura defensiva do Real Madrid que está dando certo, pressionando a saída de bola do Barcelona. O recuo dos meias extremos Cristiano Ronaldo e Di Maria tornam o 4-2-3-1 um 4-4-1-1”.

 

 

A equipe de Mourinho resolveu a partida nesses 35 minutos avassaladores de marcação e toques rápidos na bola. Messi foi muito bem vigiado e não conseguiu se destacar diante da movimentação e atitude do Real. Os merengues jogavam compactos, agrupados, encurtando os espaços e dificultando o jogo técnico do Barça. A linha de meio adiantava para marcar e também voltava fazendo o balanço defensivo. Até Cristiano Ronaldo cumpriu essa função com exímia obediência tática. Cabe lembrar que a expulsão de Adriano, aos 27’, ajudou muito o Real no preenchimento de espaços.

Özil dava o primeiro combate em Messi e voltava para marcar. Como mostrado por Júnior Marques, o Real montava uma vigorosa linha de quatro para compactar-se e não deixar o Barcelona trabalhar a bola. A obediência tática de Ronaldo, que também marcava pela esquerda, ajudou aflorar o futebol qualificado de Marcelo. O brasileiro jogou muito e mostrou para Mourinho que é um absurdo colocá-lo no banco de reservas. Messi fez um golaço de falta aos 44’, na única vez em que o Barça levou perigo ao gol de Casillas.

Vale a leitura do texto de André Rocha relativo à primeira etapa esplendorosa do Real. Com sua maestria, Rocha explica suas impressões quanto ao primeiro tempo:

 

- “Primeiro tempo no Santiago Bernabéu: Massacre do Real Madrid nos primeiros 30 minutos, com intensidade, marcação no campo do Barcelona e melhor aproveitamento dos espaços às costas da zaga adversária. Valdés fez pelo menos três boas defesas e Adriano foi expulso para conter Cristiano Ronaldo. Marcelo e Pepe, de volta à equipe merengue, foram os melhores em campo. Barcelona se reequilibrou com Alexis Sánchez como ala pela direita e linhas mais contidas. Messi devolveu o time catalão à disputa com belo gol de falta”.

 

No segundo tempo a equipe de Mourinho afrouxou um pouco a marcação, o que não foi problema para a manutenção do placar e a conquista do título. A segunda etapa foi mais igual, tendo cada equipe praticamente três chances claras de fazer o gol. A chance mais límpida foi perdida por Higuaín, que na cara de Valdés chutou na trave. O atacante argentino teve quatro chances claras de gol e só fez uma. Sua sorte foi a atuação de Casillas. Assim como no Camp Nou, o goleiro da Seleção da Espanha foi super seguro e salvou o Real.

Para matar a saudade do texto de André Rocha, que ainda não voltou com o Olho Tático, publicando atualmente pelo Facebook,  abaixo segue a análise do mestre com relação ao segundo tempo:

 

- “Final. Real Madrid 2x1 Barcelona. Merengues campeões da Supercopa da Espanha pelo critério dos gols fora de casa. Um detalhe. Mesmo com um a menos, time catalão controlou o segundo tempo e teve boas chances. Assim como na Espanha durante a Euro, Iniesta e Alba fizeram boa dupla pela esquerda. Mas faltou uma referência na área para um "abafa" no final. Mourinho usou o banco mais qualificado, com a estreia de Modric. Time cansou, mas se defendeu com correção e esteve próximo do terceiro nos contragolpes. Times dominaram completamente nos primeiros 45 minutos no Camp Nou e no Bernabéu. Real foi mais efetivo”.

 

O time de José Mourinho deixou hoje mais uma lição para aqueles que se apegam somente aos números. Cada vez mais, dentro do quadro da evolução tática, a postura e a estratégia se tornam mais importantes e até mais preponderantes que os próprios esquemas táticos. A tendência atual, mais que visível, são as equipes marcando em duas linhas de quatro e atacando no esquema de sua escolha. Essa mutação tática, que varia com relação ao domínio da bola, é a tônica tática atual do futebol mundial. Mais importante do que o desenho tático, é a estratégia que se aplica a ele. Abraço!

 

 

 

Leia:

 

A Prancheta: Um dos melhores sites do segmento de análises táticas:

http://a-prancheta.com/

 

 

 

 

Victor Lamha de Oliveira

Tópico: REAL MADRID 2 x 1 BARCELONA: MOURINHO VENCE A PRIMEIRA CONTRA O MAIOR RIVAL NO BERNABÉU

...

joao tricolor | 31/08/2012

"Cada vez mais, dentro do quadro da evolução tática, a postura e a estratégia se tornam mais importantes e até mais preponderantes que os próprios esquemas táticos. A tendência atual, mais que visível, são as equipes marcando em duas linhas de quatro e atacando no esquema de sua escolha."

po cara eu sempre disse isso, e discordo que é "cada vez mais" e "evolução da tatica" quase sempre foi assim.. essa coisa numerica de tatica é uma grande bobagem, ja que COM A BOLA, é muito mais algo improvisado e condizente com o talento do jogador

tirando o Brasil, quase todos os times do mundo defendem em duas linhas, o que interessa é se voce vai marcar pressão, meia-pressão, se voce vai marcar em bloco alto ou profundo, e em zona ou homem. Numerozinhos é mais algo que jornalista bota pra mistificar o futebol. Isso os proprios treinadores dizem.

Agora, vejo muitos problemas no Brasil no que tange a recomposição, vejo que na Europa os times grandes jogam em bloco alto e aqui isso é raro porque a recomposição dos homens de frente é lenta, e quase nem há essa cultura de voltar rapido, ou seja, a defesa é obrigada a jogar mais profunda, tendo que jogar com sobra e alongando o campo para o adversário. É muito dificil hoje ver times Brasileiros com capacidade constante de jogar com a posse da bola e controle do jogo por isso. O que é apenas agravado com o tamanho dos campos e gramados pessimos.

O Denilson ha pouco disse isso, que no arsenal quando se perdia a bola, os homens de lado tentavam recompor uma linha o mais rapido possivel com os homens de traz tentando manter-se o mais compacto possivel, que diferença ele deve ter notado no são paulo do Leão ele tendo que cobrir espaços que nem um maluco, claro que na Europa nem todos os times jogam dessa forma, existem volantes que fazer linha de 3 atras tambem, mais com ajuda dos homens de frente e muita fibra é possivel jogar com qualquer esquema de numerozinho, até 1-7-2 , não me interessa esse tipo de analise

O papel do tecnico é muito mais de gerenciador de egos, de homens, do que propiamente um papel super tático, do "nó tatico" isso é coisa de jornalista na minha opiniao, alias na propria opiniao dos tecnicos compactua com a minha

Re:...

Victor Lamha de Oliveira | 01/09/2012

Olá João, tudo jóia? Prazer em recebê-lo aqui no Painel Tático! Seja bem vindo! Achei seu comentário interessante João, muito inteligente seus preceitos sobre desenhos táticos e estratégias de jogo. Entretanto, discordo de alguns trechos de sua análise. Com a bola, sempre existe o improviso e o posicionamento base se altera na busca pela jogada de ataque. O que não concordo, é que os números são apenas "coisa de jornalista". Se você pegar os scouts dos jogos, onde podemos ver a posição que o jogador mais ocupou pelo gramado, vai perceber que é a mesma descrita taticamente antes de iniciar a partida. A divisão em números é uma forma de demonstrar aonde o jogador vai preencher o espaço, qual sua faixa de campo no tablado. É lógico, que isso não define nada. O futebol é uma arte de vários fatores, como técnica, postura, dinamismo, inteligência, estratégia e sorte. O treinador pode determinar inversões de posições, de estrategias e de desenhos táticos. É por isso que não enxergo o treinador tão "manager" assim. Essa questão de números e desenhos táticos gera grande discussão dentro da temática. Obrigado por enriquecer o debate! Abraço!

testando

joao tricolor | 31/08/2012

testando

Jogão

Maurício | 30/08/2012

Jogaço né Victor, clássico é clássico!!

Sobre o jogo, o primeiro tempo todo o Real Madrid mandou no jogo, poderia ter feito uns 4 no tempo inicial. O Barça de Tito não viu a cor da bola. Já no segundo tempo o Barça veio com outra postura mesmo com um a menos, com a expulsão do lateral Adriano ainda no primeiro tempo. Sempre com o seu toque de bola! Higuain perdeu um gol incrível, e Messi no ultimo minuto de jogo perdeu um também chutando a bola muito perto do gol! Foi um excelente jogo!

Não entendo o por que do Villa não entrar no jogo, pra mim ele é titular fácil no Barça no lugar do Alexis ou Pedro, e Fábregas tbm tem que entrar ao menos no decorrer do jogo!

E o meu tricolor ontem viu? Estamos encostando ! hehehe

Abraço

Re:Jogão

Victor Lamha de Oliveira | 01/09/2012

Grande Maurício! Eu também gostei muito do jogo! Excelente duelo! Como eu disse, o Real decidiu a parada com 35 minutos avassaladores de marcação pressão e transição rápida da bola por todos os setores. Acho que o Tito deve estar cauteloso quanto ao Villa. Creio que sua volta ao time titular vai ser gradativa e questão de tempo. Sobre seu Grêmio, atualmente, nesse final de primeiro turno e início de segundo, é a melhor equipe do Brasileiro. Abraço!

Tiki - Taka Invencivel

Max | 30/08/2012

Hoje tivemos uma mostra clara de como é possivel jogar como protagonista contra o tiki-taka e como ele nao ´imbativel mais é necessario ter entrega e qualidade tecnica ...

Re:Tiki - Taka Invencivel

Victor Lamha de Oliveira | 01/09/2012

Grande Max, tudo bom? Uma arma mortal contra o tiki-taka tem sido uma forte e compacta marcação em duas linhas, dobrando, principalmente, a marcação pelos flancos. Como você disse, tem que ter entrega e qualidade técnica. Nessa receita, ainda acrescento a obediência tática. Abraço!

Novo comentário